CONCEITO

O serviço educativo Fábrica de Histórias é um produto de promoção de escrileitura e das artes que se desenvolve junto de instituições de ensino público e privado, integrado no espaço curricular, e que consiste na implementação de um programa de elaboração de um livro da autoria dos alunos, coadjuvados por professores e mediadores de diferentes áreas técnicas e artísticas.

Tendo como elemento de referência o funcionamento encadeado de uma linha de montagem, crianças e jovens participarão nas várias fases do processo de criação e de produção do produto final, aproximando-os do mundo literário e promovendo um relacionamento afetivo e sólido com a linguagem literária, o livro e a escrita, dotando-os de competências artísticas como a ilustração, a dramatização ou a música e de competências técnicas como o marketing ou a informática.

Criar um livro a várias mãos é o grande desafio a que se propõe a Fábrica de Histórias. A FdH destina-se a crianças e jovens integrados em instituições de ensino público e privado e pode englobar vários níveis de ensino desde o Pré-escolar ao Secundário.

Do processo de apropriação que a escola fará do serviço educativo, resultará a definição dos anos e turmas a envolver.

GALERIA

CONTACTE-NOS

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem

Um auditório cheio para a apresentação de um livro – que conta a história, escrita a partir da reflexão criativa e partilhada por mais de uma centena de alunos do 5º ano, que se inspira no lema que anualmente congrega toda a escola -, tem-se revelado como o ponto de chegada entusiástico de um percurso realizado ao longo de todo um ano letivo.

Neste percurso de aprendizagem experiencial, a curiosidade, a criatividade, o esforço, a persistência, a resiliência e o empenho são mobilizados, os alunos são desafiados a refletir, dar ideias, ponderar alternativas e propor soluções, adquirem destrezas, competências, conteúdos e concretiza-se transversalidade de saberes e de expressões. Os alunos aprendem. E emocionam-se.

Margarida Chambel,

Colégio Pedro Arrupe